Notícias

06/12/2018 09:12

Bahia busca consolidação como destino gay-friendly



Resultados da pesquisa de demanda turística realizada pela Secretaria do Turismo do Estado (Setur) durante a 17ª Parada do Orgulho LGBT da Bahia foram avaliados junto com o Grupo Gay da Bahia (GGB). De acordo com o estudo, 15,6% do público do evento, realizado no mês de setembro, eram turistas.


A pesquisa indica que a participação de turistas na Parada Gay da Bahia aumentou expressivamente desde 2013: passou de 4,4% para mais de 15%. “Essa informação reforça o potencial da Bahia para atração de visitantes LGBT e também nos ajuda a planejar melhor as ações da Setur voltadas para o segmento”, explica o secretário estadual do Turismo, José Alves.


Presidente do GGB, Marcelo Cerqueira destaca a qualidade e diversidade do evento. “A nossa riqueza, seja na música ou na dança, e a crescente participação são determinantes para que pessoas de fora da Bahia decidam comprar suas passagens para vir ao estado na Parada Gay”. Ainda segundo Cerqueira, soma-se a isso o permanente trabalho de atração de visitantes realizado pela Secretaria do Turismo da Bahia.


Outro dado relevante indicado pela pesquisa é que a Bahia é considerada um destino gay-friendly – amigável para o público LGBT – por 76% dos baianos e turistas que participaram da festa organizada pelo GGB.


Perfil do visitante - Em 2018, os principais emissores de visitantes nacionais para a Bahia no período do evento foram os estados de São Paulo, Amazonas, Sergipe, Alagoas, Minas Gerais, Paraíba e Rio Grande do Sul. Dentre estrangeiros estavam europeus da Itália, Alemanha e França.


Conforme o estudo, a maior fatia dos turistas participantes da Parada Gay de 2018 declarou renda entre R$ 2 mil e R$ 5 mil (62,8%) e gasto médio de cerca de R$ 1.300. Segundo a pesquisa, o tempo de permanência dos visitantes na capital baiana foi equivalente a 5,5 pernoites.


Hotéis, albergues e hostels foram os principais meios de hospedagem utilizados pelos turistas que participaram da Parada do Orgulho LGBT em 2018. Os serviços oferecidos pela rede hoteleira foram bem avaliados por 83% dos visitantes – mais de 50% avaliaram como ótimo.

 


 


 

Repórter: Ana Paula Cabral

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.